Os novos iPod da Apple

No evento de hoje a Apple (link para a keynote) apresentou uma gama totalmente renovada de iPods, cujas novidades vão das mudanças meramente estéticas nas cores do shuffle até ao novo iPod touch.

Aqui fica uma imagem do novo lineup:

Da esquerda para a direita temos shuffle, nano, classic, touch e iPhone

As novidades mais significativas podemos encontrar no nano, classic e touch, pelo que o shuffle fica de fora.

iPod nano (aka fatty ou the hobbit)

As imagens veiculadas na internet durante as últimas semanas em que se via um iPod nano mais baixo e largo estavam correctas. O novo nano tem um ecrã de 2″ (com retroiluminação LED), suporta videos como o iPod normal e sofreu algumas melhorias ao nível do interface gráfico, como se pode depreender na imagem supra. O recente rumor do CoverFlow também se confirmou.

Quanto a preços, ficam-se pelos 149 dólares (4GB) e 199 dólares (8GB). A mesma capacidade, mas mais barato e com vídeo. E em novas cores.

iPod classic

O tradicional iPod também sofreu mudanças assinaláveis. Em primeiro lugar, a sua capacidade passou de 30 e 80GB para 80 e 160GB. Em segundo lugar volta a emagrecer ligeiramente quando comparado com a geração anterior (parecendo-me a mim, visualmente mais equilibrado que o antigo). Em terceiro lugar, também a interface gráfica foi actualizada sendo idêntica à do nano. Em quarto lugar, os preços desceram para 249 dólares e 349 dólares. Em quarto lugar, também o ecrã de 2.5″ teve direito a uma melhoria com a inclusão de retroiluminação. LED.

Por fim – e parece que ninguém ainda notou neste detalhe – o novo classic assinala uma morte. O fim do branco como cor de bandeira dos produtos de consumo da Apple, pois apenas estará à venda em cinzento metalizado e preto.

(Imagem ArsTechnica)

Registe-se que depois das recentes mudanças no iMac, o branco subsiste na linha de produtos de consumo da Apple apenas no MacBook e (menos) no Mac mini. Além destes dois, a excepção é confirmada apenas por acessórios e routers.

iPod touch

O iPod touch é simplesmente o iPod por que todos esperavámos desde o lançamento do iPhone que condenou à obsoloscência os modelos de iPod agora substituídos. Inclui praticamente todas as features deste último à excepção das comunicações telefónicas e por SMS. Nomeadamente, capacidade para ouvir música, ver filmes e navegar na Internet através de comunicação WiFi.

No que toca a novidades específicas deste modelo, as mesmas limitam-se à nova iTunes Wireless Store e a um acordo com a cadeia Starbucks. A primeira é idêntica à normal mas acessível por rede WiFi, e ainda que permita a compra de músicas, não parece para já incluir o download directo via wireless para o aparelho. A segunda não nos diz, a nós europeus, respeito durante os próximos 18 meses, pois trata-se de um acordo que se extenderá em primeira instância pelos cafés Starbucks nos E.U.A.

Quanto a capacidades e preços: 8 e 16GB por 299 e 399 dólares.

Temos pois um iPhone com mais capacidade de armazenamento, mas sem funções de telefone.

Aparentemente tem uma falha grave que é a falta de uma aplicação para ver emails.

iPhone

O iPhone também teve direito às suas novidades, em particular um update de software para aceder de forma idêntica à do touch à iTunes Wireless Store, uma descida de preço brutal de 599 dólares para 499 399 dólares (EDIT: tinha-me enganado no preço) no caso do modelo de 8GB e o desaparecimento total do modelo de capacidade mais reduzida.

Panorama geral da gama e conclusões

  • iPod shuffle 1GB (79 dólares)
  • iPod nano 4 e 8GB (149 e 199 dólares)
  • iPod classic 80 e 160 GB (249 e 349 dólares)
  • iPod touch 8 e 16 GB (299 e 399 dólares)
  • iPhone 8GB (399 dólares)

Com a ampla cobertura do mercado garantida por distintos modelos com gamas de preços sucessivas a Apple consegue abranger com produtos competitivos desde o segmento inferior ao mais elevado. E embora, no geral, possamos considerar a nova oferta da empresa competitiva, há vencedores e perdedores neste dia.

Começando pelos perdedores – além da boca fácil à Creative Labs e Microsoft – é fácil ver onde é que a Apple quis deixar patinhos feios. Da mesma forma que o Mac mini ficou para trás na evolução, desta feita são o shuffle (mais claramente) e o nano (menos claramente) quem sofre os efeitos negativos da comparação com os irmãos maiores.

O primeiro continua sem ecrã e com uma capacidade limitada, ainda que seja um campeão de vendas. Eu próprio tenho um e reconheço que o apelo de um shuffle para quem vai para a praia ou faz ginásio é inegável. É leve, rijo e não tem tendência para cair ao chão.

Quanto ao segundo, direi que me parece abastardado. Por outras palavras, era um elemento importante até hoje, com o lançamento do touch e o consequente reposicionamento do classic, ficou entalado ali entre modelos mais interessantes. O próprio lifting feito à imagem do nano não é consensual. Para mim é simplesmente feio e desproporcionado, embora conceda que um dia que o tenha na mão possa mudar de ideias. Depois, o seu preço baixou e passa a permitir ver videos. So what? Por uma diferença de 50 dólares passamos de 8 para 80GB de capacidade por um aparelho que faz – da mesma maneira – as mesmíssimas funções.

Reparem – e acho estranho também ainda não ter lido comentários sobre isto – o binómio iPod mini/nano continua sem ter a sua capacidade de armazenamento significativamente aumentada desde 2004. Já lá vão quase 3 anos. Todos os outros iPod viram a sua capacidade aumentada. E se em 2005 o iPod mais barato (30GB) tinha 5x a capacidade do mini mais caro (6Gb) e uma diferença de preço superior de 349-249 dólares contra 249-199 dólares actualmente. Agora a diferença é de 10x, com a agravante de o nano também permitir a visualização de filmes.

Para mim, o novo nano é um dead horse. Não tanto no modelo mais barato, mas principalmente no mais caro.

Por fim os vencedores parecem-me ser o classic de 80GB e o touch (ambas as versões). O primeiro aparece como um produto de preço relativamente acessível (249 dólares) com todas as funcionalidades típicas de um iPod e com uma capacidade de armazenamento adequada para um leitor de música E vídeo, ao contrário do que ocorre com o nano.

O segundo, conforme acima referi, era o novo verdadeiro iPod aguardado há 9 meses e que se constitui como o novo paradigma dos leitores de música.

Rei morto, rei posto.

Com tanta segmentação a Apple corre o risco de se ter esquecido do provérbio less is more que tão útil lhe tem sido aos longos dos anos. Há muitos e variados modelos, para todas as bolsas e feitios. A escolha do consumidor depende do seu orçamento e do uso que quiser dar ao aparelho.

Mas convenhamos que 17 SKUs, é bastante. Se calhar, demasiado.

Explore posts in the same categories: iPod

11 comentários em “Os novos iPod da Apple”

  1. Sr. Tobias Says:

    Olá Demi, a WiTMS suporta downloads directamente para o aparelho.😉


  2. […] a pena darem um salto ao Spinning Beachball e ao Sixhat Pirate Parts, para lerem mais sobre o […]

  3. José Mendes Says:

    Olá. Só uma pequena correcção. O iPhone de 8 GB desceu para 399 e não 499.

    JM

  4. kincas Says:

    O iPhone 8 GB custa agora $399 e não $499 como está escrito.

  5. ajax Says:

    Os novos iPods apresentados eram os esperados pelos “experts” que acompanham estas coisas.

    1) Shuffle não pode evoluir muito mais. Resta aumentar-lhe a capacidade sempre que a tecnologia o permitir mas que não canibalize o Nano. Não foi desta.

    2) O antigo Nano tinha uma falha grave. O TFT era demasiado pequeno para que o pudessemos usar para ver um video ocasionalmente e mesmo visualizar fotos era uma tarefa árdua para os olhos. Quando se aumenta o ecrã de uma coisa como o Nano e “final form” ideal não anda muito longe daquilo que é o novo Nano. Irá ser um sucesso de vendas.

    3) O iPod Classic não passa de um restyling interessante com capacidades aumentadas e preços revistos para simplesmente abanar a concorrência. Vão sofrer um bocado com o iPod Classic 80GB. Apesar da evolução e queda de preços das memórias flash, estas, infelizmente, ainda são caras e estão longe de substituir os velhinhos discos magnéticos. Enfim, o iPod Classic continuará a ser o nosso fiel repositório da música digital.

    4) O iPod Touch era inevitável. Todos sabiam que a Apple iria pegar no iPhone, cortar a telefonia e lançar as bases dos futuros iPods. Sabe-se há 3 anos pelo menos que convergência destes dois produtos é inevitável. No entanto, e para uma boa maioria, não faz sentido comprar um iPod Touch se por mais 100 euros temos mais e com GSM. Fica assim direcionado para os mercados que não terão iPhones, para aqueles que por motivos de segurança não podem usar iPhones em “certas empresas”, para aqueles que não podem ouvir falar em telemóveis ou têm horror a radiações e finalmente, mais importante, para quem não quer ficar agarrado a um operador de telecomunicações durante 2 anos, pelo menos. Para todos os outros mais vale esperar pelo iPhone. Ter um super iPad sem acesso móvel à net de qualidade e em todo o lado, leia-se Edge, 3G, etc, não faz muito sentido.

    5) O iPhone desce de preço porque a evolução tecnologica assim o permite. Temos de nos habituar à ideia que 4G de flash custam hoje o mesmo que 8GB daqui a uns meses e a Apple por comprar grande parte do stock de memórias flash consegue ganhos de escala. Um iPhone de 8GB por 399 dólares torna-se mesmo muito apetecível. As vendas vão disparar.

  6. Sr. Tobias Says:

    É notável que o novo iTunes traz Português, e reparem neste pormenor, Português (Portugal).

    Pelo menos em Windows, que o meu MBP só (deve) chegar amanhã. Muahahahha.

  7. Sr. Tobias Says:

    Btw, isto leva-me a ficar feliz, não por ter o iTunes em Português, que eu uso tudo em Inglês, mas talvez por ser um sinal de que a Apple se está a “virar” para nós.😉

  8. detig Says:

    Não só o novo iTunes como também o Touch. Não posso dizer que não estaria à espera…😀

    Há quanto tempo ando a dizer que a Apple se virou de forma diferente para Portugal?

  9. ajax Says:

    Detig,

    o teu “passarinho” é o tradutor?😀

  10. detig Says:

    O passarinho é, em linguagem literária, um personagem compósito😛.

  11. Sr. Tobias Says:

    Completo off-topic, como melhor receber o Macbook Pro a minha casa, já lhe preparei uma mesa com Ethernet, Wireless logo ao lado, um disco externo com coisas que lhe quero oferendar, um hub usb e um mighty mouse. Que mais? Também ainda não sei com que mochila/saco o vou transportar.

    Tenho medo que ele não goste de mim ou da minha casa e se vá embora.😦

    ….😀


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: